Sexta-feira (9), 10h30. Data marcada para a folia sair às ruas da vila de Soure, naquele que é anunciado como o maior cortejo infantil da região. “As maravilhas de Soure” é o tema da edição deste ano, de um evento organizado pela Câmara Municipal, com o apoio da Junta de Freguesia local e Agrupamento de Escolas Martinho Árias, entre outras entidades.

Largas centenas de alunos dos jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo de todo o concelho, agrupamento de escolas e do Instituto Pedro Hispano, da Granja do Ulmeiro, desfilarão num percurso que tem início no Espaço Multiusos Soure 1111 e ponto-alto em frente ao Paços do Concelho, onde um palco instalado permitirá a exibição dos diversos grupos de participantes.

“Esta é uma tradição que se tem vindo a consolidar. Lançámos há três anos o desafio de tornar este o maior desfile infantil de Carnaval da região e por aquilo que sai na comunicação social estamos a conseguir [o objectivo]”, refere ao TERRAS DE SICÓ o presidente da Câmara, Mário Jorge Nunes, aludindo aos 2.000 figurantes “registados e identificados” que participam no corso.

Se o (bom) tempo ajudar, o autarca estima que entre a comunidade escolar, familiares e população em geral, acorram às ruas da vila na manhã do desfile entre seis a nove mil pessoas, funcionando o evento como “elemento agregador” sourense. Registe-se que as IPSS do concelho levam a assistir ao desfile os seus utentes seniores, muitos avós das crianças participantes.

Aos mais de mil alunos e aos agentes educativos, juntam-se grupos que se dedicam à música, dança e teatro, como elementos das cinco filarmónicas do concelho, Fanfarra dos Bombeiros Voluntários, marchas dos grupos Artes de Palco (Vila Nova de Anços) e da Associação de Vinha da Rainha, e grupo de teatro Trailaró (Casal Cimeiro).

A aposta na iniciativa, inscrita no plano de actividades anual das escolas, é para manter e consolidar, num investimento municipal “que se justifica”.

As “maravilhas de Soure” servem de temática à edição deste ano e Mário Jorge Nunes espera que “a capacidade imaginativa dos alunos nos façam descobrir outras maravilhas do concelho a que não damos tanta atenção”.