Os Bombeiros Voluntários de Condeixa, que esta sexta-feira (1) comemoram o 40.º aniversário da sua reactivação, pretendiam assinalar a data com o arranque das obras do novo quartel, cujo terreno para o efeito foi adquirido há um ano, mas a “prenda” desejada não vai chegar a tempo.

“Não trabalhámos o suficiente para isso”, lamenta Gustavo Santos, presidente da direcção daquela associação humanitária, salientando a “dependência de terceiros” que “não conseguimos ultrapassar para resolver os problemas”. “Se dependesse só de nós já estariam paredes no ar, de certeza absoluta”, refere o dirigente, asseverando que a obra “tem mesmo que arrancar em 2018”.

Assim sendo, a comemoração do aniversário terá um programa simples, “igual a tantos outros aniversários”, com o hastear da bandeira (08h00), romagem aos cemitérios (08h15) e missa (09h00). A sessão solene comemorativa está marcada para as 11h30 e será antecedida da bênção de uma nova viatura de transporte de doentes, comparticipada pela Fundação D. Ana Laboreiro d´ Eça, e de um veículo cisterna com capacidade para 35.000 litros de água.

 

Bom momento

 

Os Bombeiros de Condeixa “estão num bom momento, bem financeiramente e sem problemas no corpo activo”, afiança Gustavo Santos, retratando 2017 como “o ano em que estabilizámos completamente a Associação”.

De acordo com o líder da associação humanitária, esta deixará em breve a gestão do bar da corporação, que funciona junto ao quartel, e cedê-lo-á à exploração.