A Câmara Municipal de Alvaiázere está a incentivar os proprietários a avançarem com a reabilitação do edificado mais antigo e degradado do núcleo urbano da vila sede de concelho, disponibilizando apoios fiscais, administrativos e financeiros, que se juntam às possibilidades de financiamento estabelecidas para a Área de Reabilitação Urbana (ARU) no âmbito do quadro comunitário Portugal 2020.

As primeiras três empresas estão a instalar-se na incubadora ‘Alvaiázere Mais’, localizada no último piso do edifício das Finanças. Por enquanto, foram assinados dois contratos de incubação, mas o terceiro está por dias, pois sendo uma empresa de nacionalidade estrangeira demorou mais tempo a reunir toda a documentação. A formalização destes acordos aconteceu no passado sábado (27), no âmbito da comemoração do Dia do Empresário, que ficou ainda marcado pela assinatura de seis protocolos de cooperação com parceiros locais.

A Junta de Freguesia de Maçãs de D. Maria deverá ter sido das últimas do país a formar executivo. As dificuldades em chegar a acordo para constituir executivo prolongaram-se por várias semanas e só há sensivelmente um mês é que se conseguiu um entendimento. O eleito social-democrata, Eduardo Laranjeira, resistiu à constituição de um “executivo a três” por considerar que tal solução comprometia o desenvolvimento da freguesia. O candidato do CDS, Rafael Simões, que inicialmente defendia um executivo tripartido, não gostou do rumo das negociações que enveredaram por um caminho de acusações e ofensas pessoais, tendo optado por se coligar com o PSD. O acordo entre o PSD e o CDS mereceu a contestação do eleito do PS, Henrique Rosa, que considera que esta solução não respeita o sufrágio popular e acusa o CDS de “voltar com palavra atrás” e o PSD de “falta de cultura democrática”.

Mais de 1.000 utilizadores já embarcaram no MOVE, um serviço de transporte lançado pelo Município de Alvaiázere, há quase um ano, que passa por todos os lugares  das cinco freguesias do concelho, de forma a garantir um “quase porta a porta” até ao centro da vila. Para o executivo camarário, este número comprova que “uma solução como o MOVE era efectivamente uma necessidade” tal como defendeu a presidente da autarquia, Célia Marques, no arranque do projecto.

A Câmara Municipal de Alvaiázere vai investir no Plano de Acção de Reabilitação Urbana (PARU) da vila sede de concelho. O projecto, cuja candidatura já foi aprovada no âmbito do Portugal 2020, abrange intervenções nos espaços públicos e privados. Com vista a esclarecer os proprietários de prédios situados na Área de Reabilitação Urbana (ARU) da vila de Alvaiázere, o Município vai promover uma sessão pública de esclarecimento, que acontece no próximo dia 2 de Fevereiro, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal de Alvaiázere.

O concelho de Alvaiázere acompanha a tendência de decréscimo de desemprego registada a nível regional e nacional, caminhando para o chamado “desemprego estrutural”. A revelação foi feita ao TERRAS DE SICÓ pelo director do Instituto de Emprego e Formação Profissional de Figueiró dos Vinhos, João Ribeiro, à margem da Feira de Emprego, promovida pela equipa do CLDS 3G de Alvaiázere, que se realizou no passado dia 15 de Dezembro.

O Município de Alvaiázere aprovou, no passado dia 6 de Dezembro, o Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2018, que ascende a 10,6 milhões de euros, representando um aumento global do seu valor em mais de sete por cento face a 2017.